Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Na outra margem da memória

"I don't think we did go blind, I think we are blind, Blind but seeing, Blind people who can see, but do not see.” José Saramago, Blindness.

22
Ago17

Almost adulting by Arden Rose

Não quantos de vocês por aqui conhecem a Arden Rose, uma youtuber americana, que eu gosto muito e comummente a muitos outros youtubers e bloggers também ela lançou um livro. Tendo eu em conta a personalidade que ela deixa passar através dos seus vídeos fiquei com a pulga atrás da orelha e acabei por encomendar o livro.

IMG_1961.JPG

 

Eu vejo a Arden como uma pessoa divertida e algo quirky (utilizando uma expressão dela!!) e que escrevendo um livro teria de ser exatamente como a sua personalidade. A verdade é que não me enganei, é um livro sobre a nossa “transformação” para adultos, o que é na verdade ser um adulto, como na verdade vamos tendo atitudes de adultos sem na verdade nos darmos conta e com a sua visão de alguns dos factos essenciais para nos mentalizarmos que na verdade já somos adultos à muito tempo mesmo sem nos apercebermos.

 

IMG_1995.JPG

 

Eu gostei muito do livro, ri-me imenso e consigo relacionar-me com imensas das situações em que ela fala no livro, em suma é divertido, tem ilustrações ao longo do livro e trata-se de uma boa leitura de verão!!

21
Ago17

Hala Madrid!!

Buenos dias pessoal! Estás férias têm sido diferentes para mim, primeiro porque andava sempre com os fantasminhas e do mestrado e da tese atrás ou seja nunca estava descansada, mas também porque no meio disto tudo acabei por fazer imensas atividades com os meus amigos e família. Quer dizer nos outros anos também saia de casa nas férias, don't get me wrong, mas eu simplesmente gosto de estar em casa com as minhas séries, filmes, livros, com os meus pais e com a bicharada toda. Este ano foram vários os planos marcados e muitos deles desmarcados à última da hora, passo a exemplificar: combinamos duas idas às Fisgas de Ermelo e duas vezes foi desmarcado, combinamos acampar amanhã no Gerês e once again tivemos que desmarcar.Com isto acabamos de marcar uma viagem um pouco espontânea e só de meninas até Madrid, por isso sexta aqui vamos nós!!!

Alguém já esteve por Madrid? O que aconselham?

18
Ago17

Barcelona

Sinto que preciso de fazer um pequeno desabafo em relação aos acontecimentos de ontem na minha Barcelona. Qualquer situação deste género me deixa bastante sensível, trata-se uma situação horrível em que o medo e o terror ganham asas e a vida destes lugares é posta em causa.Tendo eu feito Erasmus em Barcelona, esta cidade tem um lugar muito especial no meu coração. Adoro a confusão, a arquitetura, o Gaudí, e toda a vivacidade e diferença presente naquela cidade. Tenho estado sempre de olho na televisão espanhola, vendo as últimas novidades e esperando que aquela gente de recomponha e eu sei que vai! 

Com que direito esta gente faz este tipo de coisas?? Faz-me uma confusão tremenda...

 

P.S. queria pôr fim acrescentar que durante o tempo que lá vivi nunca me senti insegura, é uma cidade que está cheia de polícias é certo e a questão de atentados sempre foi falada, mas nunca eu me senti insegura.

É uma cidade que eu adoro e mal comece a trabalhar quero voltar a um local onde já fui tão feliz!

 

09
Ago17

Thirteen

Ontem estava eu na FNAC com o meu primo que tem 13 anos quando ele me fez sentir um abutre velho, passo a explicar. Diz-me ele muito confiante na sua sabedoria, típica desta idade e de jogador experiente:

- Já viste Alexis, os velhos também escrevem com este dedo aqui (entenda-se com isto o dedo indicador)

- Então e tu não?

- Não, eu só escrevo com o dedo do meio!!

Afinal e depois de divagarmos um pouco durante esta conversa percebi que estou velha, porque para além de não escrever só com o dedo do meio, ainda uso o indicador e o anelar para escrever no computador... Quem mais está comigo??

Resultado de imagem para i'm old  gif joey friends

04
Ago17

"Anexos"

1984edit.jpg

 

Um dos outros livros que li  durante o último semestre foi como disse o “Anexos” da Rainbow Rowell. Eu já tinha lido o “Fangirl” da mesma autora, neste caso li-o em inglês e adorei. Na altura da compra estava um pouco reticente em relação ao facto deste livro estar em português (uma vez que nem sempre gosto das traduções que fazem para este tipo de livros…), mas como trazia um livro de oferta (O “paixões à solta”) acabei por aproveitar! 

O livro conta a história de Beth eJennifer, amigas e trabalham ambas na mesma empresa, trocam emails pessoais durante o trabalham mesmo sabendo que os seus emails são monitorizados por alguém que ninguém conhecia. Esse alguém é o Lincoln que é incapaz de resistir às histórias destas duas amigas, embora soubesse que não deveria continuar a ler os seus emails pessoais. Quando Lincoln se apercebe encontra-se apaixonado pela sua imagem de Beth, sem nunca a ter conhecido...

Eu na verdade não posso dizer que não tenha gostado do livro, porque até gostei, tinha momentos hilariantes, aquelas duas eram super divertidas, mas fiquei um pouco desiludida com o final uma vez que parece que foi tudo caído do céu. Acho que devia ter sido feita uma maior incidência na história do Lincoln e da Beth, uma vez que acabamos por gostar das personagens à medida que se vai lendo o livro. Em suma eu gostei, mas fiquei desiludida com o final, se eu fosse a autora conseguia arranjar ali mais umas 50 páginas (não precisava de mais), que daria um fim muito mais lógico e interessante ao livro, mas pronto é a minha opinião e vale o que vale (ou seja está ali entre o pouco e o nada!).

Mais sobre mim

foto do autor

"Começo a conhecer-me. Não existo. Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram, ou metade desse intervalo, porque também há vida ... Sou isso, enfim ... Apague a luz, feche a porta e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor. Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo. É um universo barato. " Álvaro de Campos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

counter

Podes encontrar-me em:

Follow