Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Na outra margem da memória

"I don't think we did go blind, I think we are blind, Blind but seeing, Blind people who can see, but do not see.” José Saramago, Blindness.

21
Set14

Update

Tenho tanto para vos contar que nem sei por onde começar, sei também que depois de publicar este post me vão surgir mil e uma coisas que devia ter escrito mas não o fiz.

Em primeiro lugar e para aqueles que se possam eventualmente estar a perguntar, não, ainda não tirei a carta, mas também não deve faltar muito, isto se tudo correr bem.

As minha aulas, ao contrário da maioria de vocês já começou à duas semanas, ou seja esta semana já houve muito trabalhinho, ou melhor um cheirinho do que vai ser o meu ano de finalista, cheia de trabalhos, e de projectos. Segundo os nossos professores neste semestre temos que começar a pensar nas bases para o nosso estágio, onde e com quem é que o queremos fazer, ler muitos papers e fazer alguns trabalhos sobre os mesmos. Segundo alguns é-nos quase exigido já saber o que queremos fazer no mestrado, porque não queremos ser uma espécie de delinquentes que se regem pelo medíocre (notem que são ideias deles). A verdade é que se nota uma grande diferença para os anos anteriores e tenho a certeza que a quantidade de trabalho vai ser enorme.  Para além do mais temos que aprender a mexer no programa x e no programa y porque é importante para o estágio e blá blá blá, anda sempre tudo à volta do mesmo.

Para aqueles que pensam que andar trajado é fácil desenganem-se minha gente, não é nada fácil, especialmente se tiverem um pés sensíveis, fiquei com os pés em sangue duas vezes esta semana, mas valeu a pena ir conhecer este sangue novo que esta a chegar ao curso, é bom ser uma espécie de guia para eles e ajudá-los a desenrascarem-se nesta nova cidade, faz-me voltar ao meu primeiro ano de universidade, sentia-me exactamente como eles, sozinhos e desamparados.... 

E por enquanto é tudo, pelo menos que eu me lembre! Boa semana para todos!!

6 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

"Começo a conhecer-me. Não existo. Sou o intervalo entre o que desejo ser e os outros me fizeram, ou metade desse intervalo, porque também há vida ... Sou isso, enfim ... Apague a luz, feche a porta e deixe de ter barulhos de chinelos no corredor. Fique eu no quarto só com o grande sossego de mim mesmo. É um universo barato. " Álvaro de Campos

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

counter

Podes encontrar-me em:

Follow